Parvovirose canina: quais os sintomas e formas de prevenção?

7 minutos para ler

A parvovirose canina é uma patologia grave e que pode levar o seu melhor amigo à morte rapidamente. Os sintomas aparecem de forma grave e podem evoluir também muito rápido, principalmente em filhotes.

Por isso é tão importante que você, dono de pet, esteja atento aos principais pontos desta doença e, assim, busque ajuda o quanto antes para evitar complicações. Por isso, separamos todas as informações importantes sobre a doença para tirar suas dúvidas sobre o assunto. Entenda!

O que é parvovirose canina?

A parvovirose canina é uma doença causada pelo vírus do grupo parvovírus. Essas são cepas muito resistentes e que podem permanecer no ambiente por bastante tempo. Por isso é muito comum a transmissão na rua, porque ele permanece vivo no ambiente

A parvovirose é agressiva porque ela ataca as células que se reproduzem de forma rápida. E uma delas é, justamente, a medula óssea e, por isso, ela prejudica a produção de sangue do animal. Esse é um ponto que promove um dos sintomas principais da doença: a presença de sangue nas fezes, por afetar, principalmente, a saúde intestinal.

Outro ponto é que a doença, por afetar a medula, atinge também a imunidade do animal. Por isso ele fica bastante debilitado e pode acabar falecendo bem mais rápido que com outros problemas.

Como acontece a transmissão da parvovirose canina?

A parvovirose é uma doença viral e é transmitida pelo contato com outros cachorros contaminados (entre boca ou nariz dos animais, ou seja, quando eles se lambem ou se cheiram), pelas suas fezes ou vômitos. Por isso, é comum contrair a doença no momento em que são levados para passear, então é fundamental que medidas de prevenção sejam tomadas antes de colocá-los em exposição à rua.

Além disso, eles podem contrair no contato direto com outros animais. É muito comum, também, que isso aconteça quando um bicho doente entra em contato com outros mais saudáveis sem ter feito a quarentena antes.

A doença é transmitida, no geral, entre filhotes e cachorros jovens, principalmente porque eles tendem a não estar vacinados ainda. Outro ponto é que eles costumam ter a imunidade mais baixa e, assim, o baque acaba sendo maior. Animais adultos também podem ser afetados, mas para isso, precisam não terem sido vacinados.

O vírus da parvovirose é muito resistente e, portanto, tende a sobreviver por muito tempo no ambiente. Em ambientes internos (como residências), por exemplo, ele pode se manter por até dois meses e, inclusive, ser resistente aos principais produtos de limpeza que utilizamos no dia a dia.

É devido a essa questão que alguns profissionais recomendam a quarentena da residência caso você tenha tido algum cachorro que contraiu parvovirose canina. Neste caso, é recomendável esperar dois meses para adotar um novo animal.

Já em ambientes internos este período pode ser ainda maior, sabia? O vírus que infectou um cachorro hoje pode ter sido liberado no ambiente há anos — basta que ele esteja protegido da luz solar direta.

Quais os sintomas da parvovirose canina?

Para que a parvovirose canina seja tratada de forma adequada e, assim, o seu pet seja protegido, você precisa saber identificar os sintomas previamente. São os principais sinais da parvovirose canina:

  • febre;
  • letargia (seu animal fica mais prostrado durante o dia, deixando de brincar, por exemplo);
  • vômito;
  • diarreia (pode apresentar sangue ou, ainda, ter um cheiro muito forte);
  • ele para de comer, até mesmo aqueles petiscos pelos quais ele sempre foi apaixonado;
  • hipotermia (você percebe que ele fica mais gelado durante o dia);
  • desidratação;
  • perda de peso rápida sem explicação;
  • depressão (você percebe que ele não tem mais interesse nas atividades como antes);
  • interior das pálpebras;
  • gengivas pálidas (você percebe que as gengivas estão mais esbranquiçadas).

Esses sintomas aparecem em uma das manifestações da parvovirose canina. Contudo, há ainda uma segunda possibilidade, que é quando o vírus ataca o coração e causa, assim, uma miocardite aguda. Essa é, inclusive, uma das principais causas de morte súbita em filhotes.

Independentemente do tipo de manifestação, a partir dos primeiros sintomas, é fundamental que você comece o tratamento o quanto antes! Quanto mais cedo o diagnóstico acontecer, maiores as chances de cura sem sequelas.

Isso porque a doença pode ser potencialmente fatal, e ela avança rapidamente, viu? Por isso falaremos a seguir sobre diagnóstico e tratamento.

Como acontece o diagnóstico?

O diagnóstico da parvovirose canina acontece por meio de exames que são realizados no consultório do veterinário de confiança. Ele analisará os sintomas e pedirá os exames diagnósticos para verificar se há presença do anticorpo para a parvovirose no organismo.

Os próprios sintomas são muito característicos e ele pode começar a intervenção com o tratamento assim que os identifica, para evitar que a doença avance até que o resultado saia. Isso é feito por meio da coleta de sangue.

Além disso, temos hoje a possibilidade do teste rápido, que algumas clínicas já aplicam e que tira a dúvida imediatamente se realizado.

Quais os tratamentos?

Normalmente, nesse momento, o veterinário pode solicitar que seu animal seja hospitalizado para ser isolado e, assim, receber o monitoramento necessário para verificar a evolução da doença, além de adotar as medicações necessárias.

Afinal, muitos donos de cachorro têm dificuldades de dar medicações sem ser por meio da adoção com petiscos. Se ele não está comendo, dificilmente será medicado em casa e, por isso, a necessidade da hospitalização.

Outro ponto é que o acompanhamento constante na internação faz evitar que seu animalzinho seja contaminado por outras doenças oportunistas. Isso é importante porque, como a imunidade dele está baixa, essa questão pode causar sérios problemas. Assim, é um cuidado extra para o seu amigo de quatro patas.

Como prevenir a parvovirose canina?

A parvovirose canina é uma doença que pode prejudicar a saúde do seu melhor amigo e, portanto, é importante saber como preveni-lo. E a medida é simples: a vacinação. A partir da vacina V8 ou V10, é possível evitar que o seu amigo contraia essa doença.

Enquanto ele ainda não puder ser vacinado, o importante é evitar ter contato tanto com cachorros quanto com objetos infectados. Assim, se você for introduzir um animal que ainda não foi vacinado em seu ambiente, caso tenha algum filhote, faça um período de quarentena. Assim, você protege todos eles.

A parvovirose canina é uma doença muito perigosa para o seu melhor amigo. Por isso, nos primeiros sintomas, busque ajuda com um médico veterinário de confiança. Você ainda deve completar o ciclo vacinal dos seus queridos para protegê-los dessa doença que pode ser de alta gravidade.

Quer proteger de verdade seu melhor amigo? Então agende uma consulta em nosso hospital veterinário e conte com nossos médicos de confiança!

Conheça nossos serviços e descontos: DeliveryRetire na LojaAssinaturaCash BacksiteApp, e muito mais. Temos produtos para seu cachorro, gatopássarosroedorpeixes e répteis.

Fique de olho em nossas redes sociais: Instagram, Facebook, Tik tok, Youtube, Linkedin, Twitter, Pinterest  e Kwai.

Posts relacionados

Deixe um comentário

pt_BRPortuguês do Brasil