4 cuidados com Pitbull para que não se torne um cão agressivo

4 minutos para ler

Cuidados com o Pitbull: O American Pitbull Terrier, ou apenas Pitbull como é popularmente conhecido, é uma raça de cachorro desenvolvida inicialmente com a função de ser um animal para o trabalho no campo, na caça e na segurança contra animais selvagens.

Entretanto, seu porte musculoso, sua força e agilidade, fizeram com que fosse utilizado nas rinhas proibidas. Esses fatores foram os principais motivos que fizeram com que o Pitbull fosse reconhecido como uma raça de cachorros violentos.

É importante saber que isso é um mito! Estamos falando de uma raça bastante brincalhona, carinhosa com seu dono, fiel e protetor. Continue a leitura e conheça 4 dicas de cuidados com o Pitbull para aproveitar a doçura desse animal.

1. Mantenha o cão ocupado

Pelo fato de o Pitbull ser um cachorro muito ativo e de porte atlético é importante que ele gaste energia. Mantê-lo ocupado pode auxiliar a não se tornar agressivo por alguns fatores como:

  • brincar, passear ou colocar o cão para praticar algum esporte irá aproximá-lo do dono e com isso fortalecer a relação entre eles;
  • ao sair de casa o animal se torna mais sociável com outras pessoas, além de se tornar mais tolerante quanto ao seu território;
  • ao gastar a energia do Pitbull pode colocá-lo em contato com outros animais, o que é muito importante desde filhote auxiliando no controle do seu instinto de caça.

2. Dê muito amor e carinho

Assim como qualquer animal ou até mesmo seres humanos, quando tratados de maneira negativa, com violência ou maus tratos, podem se tornar agressivos. No caso do Pitbull o que difere é o potencial da sua mordida, ou seja, um pinscher violento causa menos danos com a sua mordida quando agressivo.

Portanto, é importante dar amor e carinho ao animal e educá-lo a agir de maneira correta para não haver contratempos.

3. Tome cuidado com os momentos de socialização

Como falamos anteriormente, o que faz o Pitbull ser perigoso é o potencial da sua mordida, já o seu temperamento e comportamento acontece em reflexo ao ambiente que ele cresce. Por isso, é fundamental que a socialização com ele aconteça desde filhote para crescer confiante, saudável, menos ansioso e feliz.

Muitas vezes, é necessário chamar um adestrador, já que não liberar a energia pode despertar a agressividade. Além disso, é comum a essa raça ser teimosa e agir por vontade própria se não houver liderança do dono.

Você mesmo pode tomar algumas medidas de adestramento: leve-o para passear e puxe a guia quando ele mostrar atitudes de independência, e com o tempo entenderá que deve te respeitar.

Esse deve ser um exercício constante e frequente que pode ajudar a obter resultados reais de acordo com o desenvolvimento do animal. 

4. Seja responsável

Saiba que o Pitbull é amável e carinhoso como um Golden Retriever, e possui um instinto de proteção com sua família como qualquer outro cão. Portanto, seja um tutor responsável! Cuide da alimentação do seu amigo desde filhote, leve-o ao veterinário, passeie, de muito amor e carinho para o seu companheiro canino. 

Como você pôde verificar, tomar esses cuidados com Pitbull para que não se torne agressivo é responsabilidade do dono, e não realizá-los pode influenciar diretamente no comportamento desse cachorro ao se tornar adulto. Nesse sentido, esperamos que essas dicas tenham contribuído para melhorar os seus conhecimentos sobre como tratar o pet dessa raça para não ter problemas com agressividade.

Conheça nossos serviços e descontos: Delivery, Retire na Loja, Assinatura, Cash Back, site, App, e muito mais. Temos produtos para seu cachorro, gato, pássaros, roedor, peixes e répteis.

Fique de olho em nossas redes sociais: Instagram, Facebook, Tik tok, Youtube, Linkedin, Twitter, Pinterest, Kwai.

Posts relacionados

2 comentários em “4 cuidados com Pitbull para que não se torne um cão agressivo

  1. Olá, estou adotando uma pitBull com 6 meses, hoje ela convive bem com cachorros de raça pequena, tenho um cachorrinho Fox paulistinha de 11 anos e 4 gatos, essa cachorra não tem contato com gatos, o que eu preciso fazer para ela conviver bem e ser amigável com os meus animais? Devo confiar em deixa-la junto com eles desde a chegada dela ou não? A protetora da ONG afirmou que a filhote é dócil e convive com outros cães, mas com gatos não teve nenhum contato ainda, devo fazer o que? Com 6 meses ainda é possível fazer a socialização dela facilmente? Nunca tive essa raça fico preocupada com os meus animais, principalmente quando eu não estiver em casa e ficarem sozinhos em casa. Uma vez que ela fique bem e aceite os meus outros animais, ela não terá episódios de ataques? Porque li na matéria que depois que sentir confiante nos tutores não fará nada para desagradar seus donos, são leais.
    Preciso de ajuda, pois não quero colocar meus animais em risco, ela ficará no mesmo ambiente que todos, não tenho intenção nenhuma em separá-los, preciso saber se vou poder confiar em deixa-la junto.
    Obrigada

    1. Olá,Silvia
      A socialização deve ser feita desde filhote, lembrando que ele deve gastar energia para que não fique entediado e aconteça algum episódio negativo, mas isso é facilmente resolvido com passeios e brinquedos.Temos tudo para te ajudar em nossas lojas fisicas e site.

      Qualquer dúvida estamos à disposição. 💚

Deixe um comentário

pt_BRPortuguês do Brasil