Como lidar com gato bravo? Veja 4 dicas que podem ajudar

7 minutos para ler

Ter um gato bravo é uma situação que pode ser bem complicada. Isso porque diversas atividades, como dar o banho, colocá-lo na caixa de transporte, dentre outras, tornam-se quase impossíveis de serem realizadas. Além disso, você e as pessoas que frequentam a sua residência correm o risco de serem atacadas por ele.

Mas, calma. Há formas de evitar que o gato fique agressivo. Caso ele já seja, também há solução para isso. Para saber mais sobre o assunto, confira as informações a seguir!

Motivos que podem levar o gato a ficar bravo

São vários os motivos que podem deixar o seu pet mais agressivo e acuado. A seguir, separamos alguns deles. Confira!

Barulho

Um dos motivos que podem deixar o gato bravo é o barulho. Afinal, eles têm o sistema auditivo muito mais sensível do que nós humanos. Por não compreenderem do que se trata o som, eles tendem a ficar nervosos e em estado de alerta. Assim, ficam prontos para enfrentar uma ameaça ou um predador.

Mudança de ambiente

Os felinos são animais muito apegados à rotina, de modo que mudá-los de ambiente pode deixá-los muito estressados e agressivos. Além do espaço, pequenas mudanças, como trocar de lugar o comedouro e o bebedouro, ou até mesmo a marca da ração, podem incomodá-los.

Traumas

Assim como nós humanos, quando esses pets passam por alguma experiência traumática, eles também se sentem ansiosos, agitados e acuados. Isso pode torná-los agressivos. Quando os gatos são vítimas de maus tratos, eles podem se tornar ariscos. Mesmo após trocar de tutor, eles ainda terão dificuldades de criar um vínculo de confiança com outras pessoas.

Predisposição genética

Além das circunstâncias mencionadas acima, que são de ordem externa, os felinos também podem demonstrar um comportamento agressivo por conta da predisposição genética. Ela pode ser ainda mais acentuada pelos fatores citados anteriormente.

Sinais que o gato apresenta quando está bravo

Há alguns sinais que indicam que o gato está bravo. Por isso, é importante conhecê-los para evitar ser atacado pelo pet ou que ele avance em um familiar ou amigo. Confira alguns que separamos!

Colocar as orelhas para trás

É instintivo colocar as orelhas para trás para se proteger quando o bichano se sente ameaçado e, consequentemente, bravo. Saiba mais sobre gatos territorialista.

Mostrar os dentes

Mostrar os dentes também é outro sinal de que esse pet se sente ameaçado. Assim, ele demonstra que está pronto para atacar se necessário.

Arquear as costas

Arquear as costas é uma forma desse animal de estimação demonstrar força e aparentar ser maior do que de fato ele é. O intuito é intimidar o predador ou a ameaça.

4 dicas de como lidar com o gato bravo

Logo abaixo, separamos algumas recomendações para você saber como lidar com o seu gato para que ele não fique agressivo.

1. Trabalhe a confiança do felino

Para não deixar o gato bravo, é fundamental trabalhar a confiança dele. Há diversas formas de fazer isso. Você pode começar oferecendo petiscos para que ele se aproxime. Ao começar a ganhar a sua confiança, ele irá se esfregar e ronronar quando vê-lo. Só faça carinho no felino após ele se aproximar de você. Respeite o tempo e o espaço dele.

Ademais, brincar também é uma boa forma de ganhar a confiança do gato. Porém, evite brincadeiras agressivas. Outro ponto é evitar acariciar a barriga dele, pois muitos bichanos não se sentem confortáveis com isso. Portanto, vá com calma e veja como ele responde às suas ações.

2. Observe o ambiente

Você já deve ter percebido o quão higiênicos os gatos são. Eles nem sequer se submetem a usar uma caixa de areia suja. Portanto, para não estressá-los, mantenha o ambiente limpo. Além disso, esses animais de estimação prezam por espaços tranquilos, sem grande fluxo de pessoas, principalmente de estranhos.

Sendo assim, disponibilizar um ambiente onde ele possa ficar sossegado e se refugiar quando se sentir intimidado é essencial. Convém destacar, ainda, que ambientes interessantes de serem explorados e com itens interativos são boas alternativas para mantê-los tranquilos.

3. Evite ser agressivo com o seu gato

Se você agir com agressividade com o bichano, ele responderá da mesma forma, visto que se sentirá ameaçado. Caso o pet esteja fazendo algo que ele não deveria fazer, como arranhar o sofá, providencie um arranhador.

Se ele unhar algo que não deve, remova e o ensine a fazer isso no arranhador. Quando aprender, ofereça um petisco. Outra forma de agir sem agressividade, caso o animal de estimação esteja aprontando, é colocá-lo em um quarto ou outro cômodo reservado. Assim, ficará mais fácil para ele se acalmar.

4. Procure um veterinário

Saiba que a agressividade pode ser uma resposta do animal de estimação, caso ele esteja com algum problema de saúde emocional ou físico. Isso, principalmente se sentir dor, pois ficará estressado e, ao ser acariciado, sentirá desconforto, podendo reagir com hostilidade.

Nesse sentido, se o gato mudar de comportamento repentinamente com você, leve-o a um veterinário. Assim, o profissional pode examiná-lo, dar um diagnóstico preciso e indicar o que deverá ser feito.

Como proceder caso o gato ataque e evitar que isso ocorra novamente

O ataque de um gato pode trazer consequências graves. Uma delas, é a transmissão da raiva. E isso pode ocorrer a partir de lambidas em mucosas, saliva ou arranhões. Algumas pessoas acham que só arrisca contrair a doença se o animal que as morderam estiverem espumando pela boca. Contudo, isso não é verdade.

Esse sintoma só ocorre quando o vírus da raiva atinge o sistema nervoso central, comprometendo a capacidade de deglutir. Ou seja, mesmo que o gato bravo não esteja espumando pela boca, ele pode transmitir a raiva, pois ela já estará alojada no organismo dele.

Para quem não sabe, essa doença, também conhecida como hidrofobia, é extremamente letal. Por conta disso, o ideal é vacinar o seu gato com a antirrábica e se vacinar também. Assim, você não arrisca ser contaminado pelo bichano.

E se o gato não for vacinado?

Agora, caso o seu gato não seja vacinado e ataque alguém, é preciso lavar muito bem o ferimento com sabão e água corrente em abundância. Além disso, aplicar algum produto antisséptico, cobrir o ferimento e procurar atendimento imediatamente. Dessa forma, a pessoa receberá o esquema profilático pós-exposição o quanto antes.

Para evitar que isso ocorra novamente, aplicar as dicas acima por conta própria pode não ser o suficiente. Assim sendo, procure um profissional especializado em comportamento animal para que avalie a situação e indique o treinamento mais efetivo. Ao ser adestrado por um especialista, por exemplo, mais rapidamente será controlado o comportamento agressivo do seu gato.

Depressão em gatos. Saiba mais!
Gripe felina! Saiba mais!
Esporotricose felina! Saiba mais!
Escovar dente do gato! Saiba mais!

Esperamos que essas informações tenham ajudado você a lidar com gato bravo. Sinta-se à vontade para deixar um comentário caso tenha ficado alguma dúvida sobre o assunto.

Conheça nossos serviços e descontos: Delivery, Retire na Loja, Assinatura, Cash Back, site, App, e muito mais. Temos produtos para seu cachorro, gato, pássaros, roedor, peixes e répteis.

Fique de olho em nossas redes sociais que sempre tem novidades e Ofertas! Instagram, Facebook, Tik tok, Youtube, Linkedin, Twitter, Pinterest, Kwai.

Posts relacionados

Deixe um comentário

pt_BRPortuguês do Brasil